Artigo Blog - Postura Digital
Por que sua postura no mundo digital pode afetar a imagem da empresa

O Social Media Training é um dos aspectos mais estratégicos para a comunicação corporativa

“Falem bem ou falem mal, mas falem de mim!”. Esse velho ditado popular não serve de regra para o mundo digital corporativo. Em tempos de sociedade hiperconectada, tudo o que é publicado em relação às empresas, seus executivos, marcas e produtos pode influenciar positivamente ou negativamente o círculo de relações no meio digital e gerar vários impactos no mundo real.

Além disso, não podemos esquecer que tudo o que sai publicado na imprensa ou nas redes sociais representa a forma como os outros enxergam a marca. E uma marca com a reputação abalada significa prejuízo financeiro. E, para recuperar a imagem, estudos indicam um tempo médio de no mínimo 3,5 anos — tempo suficiente para qualquer empresa fechar as portas. Portanto, definir regras claras para uso das redes sociais pelos colaboradores da empresa e monitorar o que é publicado em todos os canais de comunicação são desafios impostos pelos tempos atuais que orbitam o papel do assessor de imprensa em uma gestão estratégica da comunicação.

Falando da sua empresa

Hoje, com um simples smartphone em mãos, qualquer pessoa vira um repórter, um fotógrafo ou cinegrafista ávido por um flagrante. Os canais de comunicação digital têm sido utilizados pelas pessoas para expor opiniões relacionadas às empresas, produtos e marcas. Trata-se da democratização da informação que o meio digital proporciona. Uma opinião rapidamente se espalha quando cai nas redes sociais, vira pauta até dos meios tradicionais de comunicação. E não podemos esquecer que publicações negativas tendem a viralizar com mais facilidade do que menções positivas.

Muitas vezes, pessoas que não fazem parte da área da comunicação não têm o conhecimento técnico para entender que posts em mídias sociais podem iniciar crises de imagem em uma empresa e gerar demissão do responsável pelo conteúdo. Há vários casos que ilustram essa realidade, como o caso do empresário Flávio Rocha, dono das lojas Riachuelo, que criticou em sua página pessoal uma procuradora regional do trabalho após ação ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte. Na postagem, que repercutiu negativamente, ele chamou a magistrada de “louca”, “perseguidora” e “exterminadora de empregos”, sendo acusado de machista.

Por isso, o papel da assessoria de imprensa hoje ficou mais complexo. É importante que o assessor de imprensa fique de “olhos bem abertos” a todas as menções sobre o seu cliente na imprensa e nas mídias sociais.

Prevenindo e remediando

Uma ferramenta muito eficaz para evitar que esse tipo de problema atinja o cliente é realizar com frequência treinamentos de mídias sociais para o público interno. Os funcionários são considerados os porta-vozes não oficiais de uma empresa. Eles são os primeiros a disseminar a cultura da corporação na sociedade, influenciando a opinião.

Para a gestão de crise, por exemplo, o monitoramento de notícias na imprensa ou clipping é fundamental, já que proporciona um olhar estratégico e atualizado sobre a imagem do cliente na imprensa local e nacional. O mesmo se aplica para o monitoramento de mídias sociais, saiba que esse é um passo fundamental no plano de gestão de crise (antes, durante e depois das situações turbulentas).

Implementar uma política de comunicação com regras bem claras e definidas do que pode ou não ser divulgado, quem pode ou não falar sobre a empresa na imprensa e como se comportar nas redes sociais é também outra forma eficaz e decisiva para se evitar uma crise, por exemplo. Criar uma rotina para analisar as menções, imprimindo uma análise qualitativa classificando os comentários como positivos, negativos ou neutros — pode contribuir para o sucesso do trabalho da assessoria de imprensa, agregando valor ao papel estratégico na comunicação.

Gestão de relacionamento

Independentemente de haver uma crise ou não, estabelecer um canal de comunicação com público externo, interno e imprensa é outro passo fundamental. Isso ajuda a evitar que boatos se espalhem agravando ainda mais a situação. Agilidade também conta muito para o bom relacionamento com a imprensa e consumidores por meio das redes sociais. Responda mensagens e comentários. Não deixe as pessoas sem uma resposta. Isso mostra que a marca se preocupa em manter a transparência, o que contribui para fortalecer a reputação da empresa ou produto.

Extraia o melhor que as mídias sociais podem oferecer. Se isso for executado de forma estratégica, os resultados aparecem e serão eficazes para seu cliente. Assessoria de imprensa não é só executar estratégias para melhorar a visibilidade do cliente. É, antes de tudo, entender quais são os pontos fracos e que representam uma ameaça para a marca.

Por Adriana Athayde