Image of male and female hands with pens over open notebooks at seminar
O que você precisa saber ao trabalhar com a imprensa brasileira

Assim como em todas as profissões, o jornalismo tem suas próprias regras e práticas que funcionam como premissa para exercer as atividades em todo o mundo. A briga pelo furo jornalístico, a importância de ter uma fonte confiável, a escolha de um bom lead e uma grande rede de relacionamento são características comuns a todos os profissionais da área, não importa a nacionalidade.

Mas cada país também tem as suas particularidades, compostas por práticas que só quem está no dia a dia das atividades é capaz de conhecer. E no Brasil não é diferente! Se você pretende conhecer ou trabalhar com a imprensa brasileira, têm algumas coisas que você precisa saber. Pode ser que algumas delas se apliquem para diversas regiões, mas é importante destacar que conhecer essas práticas por aqui, facilita e muito o seu trabalho!

1. Jornalistas raramente aceitam presentes, mas podem aceitar alguns convites
Já faz um tempo que políticas de compliance foram implementadas nas redações. A maior parte delas determina, dentre outras regras, que um jornalista não está autorizado a receber presentes de alto valor. Então, por exemplo, se você trabalha para uma empresa de telefonia móvel e gostaria de enviar um novo modelo de celular para um jornalista que cobre o setor de tecnologia, pode esquecer. Os jornalistas não costumam aceitar nenhum presente, principalmente se o mesmo influencia na hora de produzir uma matéria.

2. Se ele aceitar um convite, isso não garante nenhuma publicação
Vamos supor que você convidou um jornalista para uma viagem internacional com o intuito de apresentar o centro de inovação tecnológica da empresa para a qual trabalha e ele aceitou. Após passar quatro dias conhecendo e entrevistando executivos da empresa, perguntando sobre as tecnologias, passeando pela cidade, ele retorna. Você fica na maior expectativa, assim como as pessoas da empresa aguardando a publicação da matéria, mas ela nunca aparece publicada. Acontece que no Brasil, o jornalista pode ser convidado para uma viagem, almoço, passeio ou experiência inovadora, e isso não significa que ele vai publicar algo sobre a empresa, caso ele não encontre um viés para o assunto.

3. Você pode dar uma entrevista e a sua história não ser publicada
O jornalista de uma grande televisão entrou em contato com a assessoria de imprensa, pediu uma entrevista com o principal executivo, levou toda a equipe para fazer a gravação e a matéria jamais foi veiculada. O fato ocorre com frequência porque a todo momento jornalistas e editores estão filtrando os assuntos devido à falta de espaço nos veículos e a agenda de pautas muda a todo momento. Portanto, não pense que a sua entrevista foi ruim, que a assessoria não trabalhou direito ou que você perdeu o seu tempo, porque futuramente novas oportunidades podem surgir e o jornalista lembrará de você.

4. Os jornalistas gostam muito de exclusividade
Se você disser a um jornalista brasileiro que a pauta é exclusiva, as chances de publicação aumentam e muito! Oferecer um conteúdo em primeira mão demonstra a relevância e credibilidade do veículo, portanto as chances de ver a matéria publicada são maiores. Mas também não adianta oferecer qualquer conteúdo, a pauta tem que ter relevância e fazer sentido para o público leitor daquele determinado veículo.

5. Coletiva de imprensa, só se cair um avião
Infelizmente, as redações estão cada vez mais enxutas e os jornalistas não se arriscam a sair dela se eles não tiverem uma pauta na mão. Se não for um grande acidente, um anúncio do presidente ou o novo técnico de futebol, os jornalistas raramente vão deixar as redações para escutar o executivo de uma empresa. Por isso, caso tenha algum anúncio importante para a sua empresa, melhor pensar em outra estratégia, como oferecer uma pauta exclusiva para uma agência de notícias, o que pode trazer grande repercussão.

6. Você não pode dizer a um jornalista o que ele vai escrever
“Você pode escrever uma matéria sobre esse assunto”. Muitas vezes essa é a frase do executivo durante uma entrevista com um jornalista. Dizer ao jornalista o que ele deve escrever é como se alguém que não conhece o seu trabalho dissesse o que você deve fazer. Portanto, cuidado com o que você diz a um jornalista porque pode parecer arrogante e é melhor manter uma boa imagem com ele.

7. Os jornalistas são simpáticos, mas tenha muito cuidado com o que vai dizer
Os brasileiros são conhecidos pela simpatia e receptividade. Com exceção de alguns, grande parte dos jornalistas por aqui são extrovertidos e até tem uma relação bem próxima com as assessorias e executivos. Porém, tome muito cuidado! Mesmo que vocês estejam compartilhando um lugar ou momento de descontração, o jornalista sempre está no papel de sua profissão.

8. O relacionamento ainda é muito importante
Mesmo com regras, políticas e códigos a serem seguidos, o relacionamento ainda é muito importante. O relacionamento é construído com o tempo e com diversas atividades. Ele precisa de interação e aproximação entre a empresa e a imprensa. Algumas empresas construíram tamanha reputação que não são abaladas nem por uma crise e esse é o verdadeiro resultado do trabalho de uma empresa que se comunica com os seus públicos. Então, vale e muito investir no relacionamento e na construção da imagem da empresa que representa.